Desistir e Prostrar-se Jamais!

CMI - Mídia Independente - Participe! Resposta ao tópico:

Li o texto que enviou e ele não trata nem mais nem menos do que discutimos aqui diariamente e pelo visto você por aí. Mas sinceramente, ‘mesmo assim’ consigo ser mais otimista, não consigo ser negativista e tão pouco me prostrar ao sistema, primeiro porque o Brasil é um país singular, com um povo diferenciado e capaz de realizar milagres, mesmo que só as vezes e não com muita constância, como cito no texto. O último bom exemplo foi a Ação Popular do Ficha Limpa que limpou pelo menos um pouco a política, digo um pouco porque são eleitos os assim considerados, mas não é capaz de prevenir que por detrás destes eleitos estejam os fichas sujas e os seus patrocinadores. Verifique neste link abaixo o que quero dizer:

Retrato Fiel dos Resultados Finais do Ficha Limpa - A matéria trata de um ficha suja, que impossibilitado de participar do pleito em 2012, apóia um até então ficha limpa. O sujeito já teve oito processos contra ele e que só mesmo neste nosso país conseguiu se livrar da maioria. ‘Ufa, mesmo com o seu apoio, não conseguiu eleger o candidato, mas ficou como suplente para quem sabe algum dia fazer e desfazer na cidade, pelo bem ou pelo mal dela’. E isto não pode ser visto como um caso isolado, pois com toda a certeza ocorreu pelo Brasil afora e se não foi diretamente como neste caso, foi indiretamente por patrocinadores por assim dizer, de denúncias sobre este e outros esquemas a internet está cheia.

Na mesma linha de pensamento, podemos acreditar na honradez de propósitos implantadas nas urnas eletrônicas brasileiras? Depois de tudo que li e vi, te respondo que ao meu ver a resposta só pode ser que não. Há de se considerar quando muitos levantam dúvidas sobre algo e para isso costumo me utilizar de um ditado popular 'onde há fumaça, há fogo'. Acredito que já tenha visto os textos e vídeos com os estudos do Amilcar Brunazo sobre as possibilidades de fraudes nas urnas eletrônicas brasileiras e de denúncias do Deputado Federal Fernando Chiarelli e outros pelo Youtube afora. Caso não tenha tido a oportunidade, estou lhe enviando alguns destes links para que possa verificar: A verdade sobre as urnas eletrônicas e Urna Eletrônica - A Melhor Denúncia. Estudo da Universidade Princeton sobre as urnas eletrônicas: Urna Eletrônica - Estudo da Princeton University. É claro que o sistema corrido já se encarregou de desmerecê-los, o que poderíamos esperar? Mas em suma, estas urnas brasileiras são de primeira geração, passíveis de serem fraudadas e os resultados facilmente direcionados e/ou alterados. Grupo sobre Voto Impresso no Facebook: Quero meu voto impresso, além do eletrônico. O que é de pasmar, é verificar esse já tão ‘estimado pelo povo brasileiro’ ministro, Ricardo Lewandowski, dar um depoimento ameaçador condenando ‘Quem Ousar Desconfiar do TSE ou da Urna será condenado por litigancia de Má Fé’: - trata-se de um crápula colocado no cargo, sem dúvida, impondo ao povo que não o escolheu para nada, o seu julgo em tom de ameaças.

Explicam estes estudos, realizados por pessoas capacitadas, que o TSE se nega a adotar as urnas de segunda geração como é o caso da Argentina. Lá, o eleitor vota e se errar, pode corrigir o erro refazendo o voto. Aqui isso é impossível. Pode também confirmar o encaminhamento do seu voto através de um comprovante que é impresso, que não leva para casa, pois isso ocasionaria a anulação do voto, mas que é depositado em uma urna de apuração manual para posterior conferência e caso aja divergência nos resultados apurados, vale o da contagem manual onde o eleitor viu o seu voto. No Brasil não há nada que comprove ao cidadão o direcionamento exato do seu voto e qualquer pessoa honesta se esforçaria em provar o contrário disso, pois isto além de sugerir uma possível manipulação da sociedade, macula todo sistema.

Afirmo para todos constantemente que está entre os maiores crimes praticados contra o cidadão livre e contra o regime Democrático a questão da consideração de apenas os votos válidos, porque impede a sociedade de dizer não ao sistema, impossibilita que sejam verificadas as opiniões de exatamente todos os cidadãos eleitores. Quantos candidatos são eleitos atualmente pela minoria e não pela maioria dos eleitores? Mesmo a nossa presidente(a) foi eleita por tão somente 41,05% do número total de eleitores, isto faria dela uma presidente ilegítima em qualquer país sério deste nosso mundo, mas por aqui não, esta imposição ao sistema é cabível e perfeitamente aceitável. Agindo assim, na minha opinião, permitem-se de forma inconsciente a manipulação e ao escravismo, que só não é praticado de forma explícita, e bastante obviamente, porque isto poderia ser considerado como crime internacional junto à ONU, pois causa a prostração dos cidadãos ao sistema.

Muita coisa para dizer e não sei o quanto vou conseguir resumir quase 13 anos de estrada. Com o exposto, ainda assim, continuo aqui, diariamente, nesta tentativa muitas vezes frustrante de alertar e abrir os olhos da população. Mas nasci durante o período militar já, em 1966, vivi o Movimento Punk, tinha alguns amigos ripis no período do Woodstock e meu ídolo irreverente que só, foi Raul Seixas. Portanto, períodos modificadores no comportamento da sociedade. Meu pai tem 95 anos de uma vida essencialmente limpa, daqueles que nunca conseguiram sequer atrasar uma conta, pelo contrário, fazia de tudo para pagar adiantado. Logo, a luta, a hombridade e a honestidade estão impregnadas na minha alma e nas minhas veias. “Como diziam antigamente, é preciso honrar as calças que se usa”. Poderia perfeitamente viver a minha vida, pensando somente no meu bem-estar, como a enorme maioria o faz. Ser individualista como muitos o são, olhar somente para mim mesmo. Frequentar festas, churrascadas, beberanças e comilanças, entre outros afins, mas não, volta e meia me pego aqui fazendo exatamente isso que faço agora, ou seja, tentativas muitas delas frustradas de conscientização.

Saí candidato a vereador em 2000. Foi uma ótima experiência de vida para mim, Mas que jamais repetiria hoje porque conforme já afirmei, quem não se alia a todo tipo de sujeira e corrupção, não se cria num meio amplamento contaminado. Acho até que tinha uma ótima proposta, voltada a autogestão, quando acredito que, ainda nem se falava no tema. Hoje o meu amigo da internet Nildo Viana, sociólogo e filósofo, defende algo semelhante, conforme pode verificar neste link: Autogestão Segundo Nildo Viana. O que eu pretendia é que os cidadãos dos bairros se mantivessem quase que por si próprios, praticamente sem interferências. Os problemas existentes alí seriam resolvidos pelos próprios moradores e comerciantes tendo como base as associações dos moradores. Os bairros que não tivessem essa possibilidade, se aliariam ao mais próximo. Os desempregados e trabalhadores ‘braçais’ por assim dizer, trabalhariam alí também, mediante um pré-cadastro na associação, então quando alguém precisasse de algum serviço, estes seriam chamados, entre eles, pedreiros, eletricistas, jardineiros, enfim. Seria benéfico para todos e também para este trabalhador, pois estando na região e próximo da sua casa, economizaria inclusive em transporte e alimentação. Andei a pé por 17 bairros da cidade, deixando minhas propostas em cada caixa de correios, e te pergunto: neste país de milhões de ‘aculturados’ quantos sequer chegaram a ler as propostas? Fui servidor público estadual também por 16 anos, e presenciei como os servidores públicos de carreira podem ser desrespeitados em seus cargos e funções quando pessoas estranhas são colocadas/infiltradas no serviço público para realizar todo o tipo de serviço sujo que o servidor público efetivo não realizaria, pelo contrário, que poderia denunciar estes esquemas de corrupção.

As vezes, chego a temer até mesmo por mim, pois não tenho ‘papas na língua’. Acredito até que já sofro algumas consequências, pois dei entrada em alguns processos na justiça, por danos morais e tal, mas que muito embora sejam bastante lógicos e respaldados pela Constituição Federal, não entendo porque vivem de entremeios já há mais de três anos e nunca chegam a uma conclusão. Por que a Lei simplesmente não é aplicada? Me pergunto o quanto o judiciário e os cartórios no interior dos fóruns, que já não são mais públicos, lucram para enrolar e promover as delongas nos processos? É muito simples justificar que é pura e simplesmente pelas deficiências intermináveis do sistema. Com isso, mais parecem querer vencer o ‘cidadão comum’ pelo cansaço. Mas o que esses caras não entenderam ainda é que sou ‘osso duro de roer’ e que não ‘dou meu braço a torcer’. Então podem continuar com suas manobras, mas pelos meus conceitos ‘não há mal que sempre dure’. Rezem, orem, e seja qual for a expressão que prefiram se utilizar, mas torçam para que eu não atinja meus objetivos, porque o meu maior sonho é um dia poder espalhar gratuitamente meus livros a respeito do Voto Nulo e os fatos geradores para tal opção. Gostaria muito também de um dia enviar gratuitamente, para quem quisesse, materiais do Movimento, como camisetas, bonés, chaveiros, entre outros “penduricalhos e badulaques”, para simplesmente fazer entender que nem todos neste país estão e/ou se sujeitam a atos de corrupção, nos seus vários sentidos. Com exatidão, o lema da minha vida parece ser ‘desistir jamais’, coisa que nem eu sei porque!

Em suma, não tenho qualquer apreço a negatividade. No mundo todo o povo luta diariamente pelos seus princípios e eu não me dou o direito de desistir do que a minha consciência me diz ser o correto. O cidadão de bem paga o preço pela inconsciência de tantos outros, está acuado, assustado e preso, enquanto os verdadeiros bandidos estão praticando todo tipo de sujeira soltos por aí. Bandidos, policiais corruptos, enfim, nada mais são do que frutos de um sistema propositadamente imbecilizado, quanto mais burros e ignorantes forem, melhor o é para os ‘aproveitadores da ocasião’, dos ‘exploradores da Pátria’. É contra estes que eu luto, mesmo que individualmente na maioria das vezes, mas que pelos dados conhecidos, somos mais de 10 milhões espalhados por aí, e mais 29 milhões que infelizmente teimam em não fazer absolutamente nada, se isentam, deliram com um ‘mundo facultativo’, ao que eu repito, não me dou a essa inutilidade, a esse desrespeito para com o Brasil e com os seus cidadãos de bem. Faço o necessário para manter a minha consciência livre, limpa e tranquila.
Por hora é isso. Obrigado pela oportunidade!
.



Nenhum comentário: